Por que Roncamos?

O ronco é causado pela vibração de alguns tecidos, como o palato, a úvula e a língua, quando o ar passa por eles. A presença do ronco pode estar relacionada a diversos problemas, como desvios nasais e outros problemas respiratórios. O inchaço das amígdalas e da adenoide (tecido interno do nariz) também pode causar o ronco.

A ingestão de bebidas alcoólicas e medicamentos tranquilizantes relaxam ainda mais os tecidos internos durante o sono, aumentando a capacidade de vibração deles, desencadeando o ronco.

Obesidade, doenças respiratórias prévias ou ainda má formação dental com consequências como o bruxismo também podem fazer com que o paciente ronque.

Apesar de não ser considerado um problema mais grave, o ronco pode sim ser sinal de problemas quando está associado à apneia do sono, doença em que o paciente deixar de respirar por alguns segundos enquanto dorme.Além de incomodar as pessoas à sua volta, o ronco pode levar a complicações maiores como o risco aumentado de problemas nas artérias carótidas.

O ronco pode ser potencializado por hábitos inadequados, como o consumo de cigarro.

Por Que Roncamos Quando Estamos Cansados?

O cansaço nos faz dormir mais profundamente, além de relaxar mais. Quando relaxamos, os possíveis desvios que causam o ronco se obstruem mais ainda, aumentando a dificuldade na passagem de ar.

Quando as passagens de ar estão obstruídas, a respiração gera um ruído (ronco), que pode ser alto ou pouco incômodo, dependendo da gravidade do caso.

Por Que Roncamos de Barriga Para Cima?

Quando o paciente está com a barriga para cima, sua língua tende a ir um pouco pra trás, na direção da garganta. Quando a língua está nesse local, obstrui a passagem de ar, causando o ruído (ronco).

Tente dormir com a cabeça virada para o lado (esquerdo ou direito), pois isso facilita a respiração e diminui (ou cessa) o ronco.

Como Curar o Ronco?

Existem algumas formas de evitar ou curar o ronco, como:

  • Dormir de lado, pois impede que a língua obstrua a garganta e atrapalhe a respiração;
  • Evitar o consumo de álcool, estimula o estreitamento da garganta;
  • Fazer exercícios físicos, pois combate a obesidade, além de melhorar a qualidade do sono;
  • Aparelho intraoral, em casos não tão graves;
  • CPAP, em casos um pouco mais graves;
  • Cirurgia, em casos graves, onde há um bloqueio anatômico.