Por que nos apaixonamos?

Nos apaixonamos porque, inconscientemente ou não, sempre estamos à procura de alguém que nos tire o fôlego, que faça o mundo parar ou girar mais rápido, que nos ame, nos complete, nos proteja, que seja parceiro, amigo, amante.

Nos apaixonamos pelo físico, pelo beijo, pela pegada, pelo olhar, pela fala, pelo jeito de andar e de agir, pela personalidade. Enfim, são tantas características peculiares envolvidas nesse processo que não daria para citar, já que se apaixonar é uma experiência única para cada ser humano.Percebemos que estamos apaixonados quando começamos a enxergar o outro como alguém indispensável à sobrevivência. O outro vira o ar que respiramos, vira e preenche todos os pensamentos, provoca suspiros de admiração, de prazer e de saudade.

Mas o que acontece em nosso corpo quando nos apaixonamos?

É fácil constatar que o fato de nos apaixonarmos é muito relacionado às questões do coração, mas não é bem nesse órgão que a química do amor acontece…Cientificamente falando, a paixão e o amor são sentimentos que resultam de uma complexa cadeia de reações químicas, que têm como objetivo principal a continuidade da espécie. A paixão é fruto de mecanismos fisiológicos que envolvem hormônios e receptores cerebrais. Aliás, todas as sensações – dor, medo, alegria, entusiasmo, tristeza, e o amor, originam-se unicamente no cérebro.

De acordo com a biologia evolutiva, o laço amoroso entre os casais apaixonados garante a segurança da continuidade da espécie. Nos apaixonamos porque isso é uma estratégia evolutiva muito bem sucedida, já que pessoas apaixonadas tendem a cuidar melhor de seus filhos, dando-lhes mais segurança.

Quando estamos apaixonados há uma liberação maior de dopamina e norepinefrina, que são hormônios que causam os sintomas da paixão, como pensamento obsessivo na pessoa amada, frio na barriga e insônia, além da sensação de prazer ao estar perto dela.É claro que, analisando de outros pontos de vista, a paixão e o amor não se resumem apenas ao ato de perpetuar a espécie, já que há casais homossexuais que se apaixonam e não podem gerar filhos, e casais que podem gerar filhos mas simplesmente não os querem ter.

Do ponto de vista emocional, se apaixonar é saudável quando não ultrapassa os limites da neurose. Dá mais gás e energia e faz a gente enxergar o mundo com mais cor, quando a paixão é correspondida, é claro!

https://www.youtube.com/watch?v=0Y9_dJxoMt0

Por Que Não Escolhemos Por Quem Nos Apaixonamos?

Isso acontece porque não nos apaixonamos pelo que queremos, mas pelo que nosso subconsciente quer. Podemos nos apaixonar através da admiração que sentimos pela pessoa, por sermos parecidos com aquela pessoa, porque nos fazem lembrar o amor de nossos pais ou até mesmo (de acordo com alguns estudiosos) pelos feromônios que uma pessoa libera.

De acordo com alguns estudos, feromônios são substâncias que nós produzimos nos lábios, nas axilas e no pescoço através do órgão vomeronasal. Essas substâncias são únicas a cada pessoa, ou seja, cada um tem seus próprios feromônios e não existem pessoas com feromônios iguais.

Esses feromônios fazem com que criemos sensações ao senti-los em outras pessoas, promovendo a paixão.